Translate this Page

Rating: 4.4/5 (174 votos)

ONLINE
2

 

 

 

 *****

Sempre

Em

Constante

Atualização!

*****

(Brasil)

Campo Grande

(MS)

*****
Copyright

by

Claudionor

Araújo

da

Silva

 

Obrigado Pela Visita!!!

Última

Publicação

No

Google:

2021-06-17

3:29:43 PM

[Fred]

ThirdLogo



Gramática Portuguesa

Gramática Portuguesa

 

 winkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwink

 winkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwink

 

Somos Em

Ou

Somos


Erro: No escritório, somos em cinco analistas.
Forma correta: No escritório, somos cinco analistas.
Explicação: Não há necessidade de empregar a preposição “em”.

 

winkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwink

 

Tão Pouco

Ou

Tampouco


Erro: Não fala inglês, tão pouco espanhol.
Forma correta: Não fala inglês, tampouco espanhol.
Explicação: Tão pouco equivale a muito pouco. Já tampouco pode significar: Também não, nem sequer e nem ao menos.

 

winkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwink

 

À Rua

Ou

Na Rua


Erro: José, residente à rua Estados Unidos, era um cliente fiel.
Forma correta: José, residente na rua Estados Unidos, era um cliente fiel.
Explicação: Os vocábulos residir, morador, residente, situado e sito pedem o uso da preposição em.

 

winkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwink

 

A Vista

Ou

À Vista


Erro: O pagamento foi feito a vista.
Forma correta: O pagamento foi feito à vista.
Explicação: Ocorre crase nas expressões formadas por palavras femininas. Exemplos: À noite, à tarde, à venda, às escondidas e à vista.

 

winkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwinkwink

 

A Domicílio

Ou

Em Domicílio


ErroO serviço engloba a entrega a domicílio.
Forma correta: O serviço engloba a entrega em domicílio.
Explicação: No caso de "Entrega", usa-se a forma "Em domicílio". A forma "A domicílio" é usada para verbos de movimento. Exemplo: Foram levá-lo a domicílio.

 







A Longo Prazo

Ou

Em Longo Prazo


Erro: A longo prazo, serão necessárias mudanças.
Forma correta: Em longo prazo, serão necessárias mudanças.
ExplicaçãoUsa-se a preposição "Em" nos seguintes casos: Em longo prazo, em curto prazo e em médio prazo.

 






 

A

Ou

ErroAtuo no setor de controladoria a 15 anos.
Forma correta: Atuo no setor de controladoria 15 anos.
Explicação: Para indicar o tempo que passou, usa-se o verbo haver.

 







A Champanhe

Ou

O Champanhe

Erro: Pegue a champanhe e vamos comemorar.
Forma correta: Pegue o champanhe e vamos comemorar.
Explicação: De acordo com o Dicionário Aurélio, a palavra “champanhe” provém do francês “champagne” e é um substantivo masculino, como defende a maioria dos gramáticos.

 







A Cores

Ou

Em Cores


Erro: O material da apresentação será a cores.
Forma correta: O material da apresentação será em cores.
Explicação: Se o correto é material em preto e branco, o certo é dizer material em cores.

 






 

[Uso da Crase]

-A fusão de duas vogais idênticas recebe o nome de crase. Em nosso idioma, a junção do artigo (a) com a preposição (a), resulta no (a) craseado (à). 

-A junção da preposição (a) com os pronomes demonstrativos femininos (a) e (as), como também o (a) de aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo, a qual e as quais, por vez, também recebem a fusão de sons, possibilitada pela crase.

-Acompanhe abaixo as regras práticas sobre como e quando usar a crase.

NUNCA haverá crase:


-Antes de palavras masculinas (substantivos masculinos):

Pintura a óleo.
Entrega a domicílio.

-Antes de verbo:

Estava a dançar na pista.
Passara a dedicar-se mais aos estudos.

-Antes do artigo indefinido uma:

Já assistiu a uma peça teatral?
Pergunte a uma professora.

-Antes de palavra no plural:

Não vou a cerimônias públicas.
Não vou a lojas em minha cidade.

-Antes de pronome pessoal, incluindo o de tratamento:

Este livro é dedicado a você.
Quero demonstrar meu respeito a Vossa Senhoria.

-Antes de numeral cardinal (exceto para horas):

A cidade fica a duas léguas do centro.

-Antes de pronome demonstrativo, indefinido, relativo ou interrogativo:

Ofereci minha atenção a esta moça, mas ela não quis.
Ela é a única a quem devo explicações.
Não direi nada a ti.

-Antes de nome de lugar que não necessite de artigo:

Voltarei a Roma em dezembro.

-Entre palavras repetidas:

Estive cara a cara com ele.
Meu dia a dia é bem diferente do seu.

SEMPRE haverá crase (acento no (a) e (as)):


-Antes de palavras femininas que exijam o artigo a:

Vou à escola.
Prefiro minha casa à (casa) de Rita.

-Antes de palavra masculina que se subentenda a presença de uma palavra feminina:

Irei amanhã à Rádio Interativa. (Irei amanhã à estação da Rádio Interativa)

-Antes de numeral que indique horas (a palavra horas está implícita):

Irei às sete horas amanhã.
Estarei no evento às vinte e uma da noite.

-Em locuções adverbiais, conjuntivas ou prepositivas, formadas por palavras femininas:

Adverbiais: às pressas, à tarde, à noite, à toa, às escondidas, à força, às cegas.
Conjuntivas: à proporção que, à medida que. (Exceção: a prestação)
Prepositivas: à falta de, à espera de, à vista de, à beira de.

-Antes de palavras que permitam a troca do (a) por: para(s), na(s), pela(s) e com a(s).

Dei uma flor à menina. (Dei uma flor para a menina.)


A crase é FACULTATIVA:


-Antes de nome próprio de pessoa (feminino, é óbvio):

Entregarei o livro a Carmem amanhã (ou à Carmem).
Escrevi a Martha Medeiros, autora do meu livro preferido (ou à Martha Medeiros).

-Antes de pronome possessivo feminino singular:

Diga a sua mãe que ligarei mais tarde (à sua mãe).
Oferecemos gratidão a nossa professora (ou à nossa professora).

 






 

[Advérbio]

-Os advérbios são palavras que modificam um verbo, um adjetivo ou outro advérbio. São flexionados em grau (comparativo e superlativo) e divididos em: advérbios de modo, intensidade, lugar, tempo, negação, afirmação e dúvida.



Classificação dos Advérbios:



-Advérbio de Modo:
Bem, mal, assim, adrede, melhor, pior, depressa, devagar, acinte, debalde e grande parte das palavras que terminam em "mente": cuidadosamente, calmamente, tristemente, dentre outros.

-Exemplos:

Fui bem na prova.
Estava andando depressa por causa da chuva.


-Advérbio de Intensidade:
Muito, demais, pouco, tão, quão, demasiado, bastante, imenso, demais, mais, menos, quanto, quase, tanto, assaz, tudo, nada e todo.

-Exemplos:

Comeu demasiado naquele almoço.
Ela gosta bastante dele.


-Advérbio de Lugar:
Aí, aqui, acolá, cá, lá, ali, adiante, abaixo, embaixo, acima, adentro, dentro, afora, fora, defronte, atrás, detrás, atrás, além, aquém, antes, algures, nenhures, alhures, aonde, longe e perto.

-Exemplos:

Minha casa é ali.
O livro está embaixo da mesa.

-Advérbio de Tempo:
Hoje, já, afinal, logo, agora, amanhã, amiúde, antes, ontem, tarde, breve, cedo, depois, enfim, entrementes, ainda, jamais, nunca, sempre, doravante, outrora, primeiramente, imediatamente, antigamente, provisoriamente, sucessivamente e constantemente.

-Exemplos:

Ontem estivemos numa reunião de trabalho.
Sempre estamos juntos.

 

-Advérbio de Negação:

Não, nem, tampouco, nunca e jamais.


-Exemplos:

Jamais reatarei meu namoro com ele.
Não saiu de casa naquela tarde.


-Advérbio de Afirmação:
Sim, deveras, indubitavelmente, decididamente, certamente, realmente, decerto, certo e efetivamente.

-Exemplos:

Certamente passearemos nesse domingo.
Ele gostou deveras do presente de aniversário.


-Advérbio de Dúvida:
Possivelmente, provavelmente, acaso, porventura, quiçá, será, talvez e casualmente.

-Exemplos:

Provavelmente irei ao banco.
Quiçá chova hoje.

 






 

[Gêneros]

Em relação aos gêneros, eles podem ser uniformes e biformes. Os uniformes utilizam uma única forma para concordar no masculino e no feminino. Comumente, adjetivos terminados em ‘e’, ‘z’, ‘m’ e ‘l’ são uniformes. Observe:

 

A menina é felizO menino é feliz.


Maria Fernanda é uma menina felizJorge é um homem feliz.


A blusa é verdeO casaco é verde.

 

Já o gênero biforme muda a concordância, pois apresenta duas formas distintas para o masculino e para o feminino. Veja:

 

O senhor é bonitoA senhora é bonita.


Thamires é uma mulher divertidaRonald é um homem divertido.


A blusa é brancaO casaco é branco.

 






 

[Pronomes Relativos]

Os pronomes relativos se referem a um substantivo já dito anteriormente na oração. Podem ser palavras variáveis ou invariáveis:

Classificação Pronomes Relativos Exemplos
Variáveis o qual, a qual, os quais, as quais, cujo, cuja, cujos, cujas, quanto, quanta, quantos, quantas. -Repetiremos quantas vezes forem necessárias.
-São plantas cuja raiz é muito profunda.
Invariáveis quem, que, onde. -Daniel visitou o local onde nasceu seu avô.
-Tive as férias que sonhava.

 

 






 

[Sintaxe] 

 

O que é sintaxe?


A sintaxe é a parte da gramática que faz o estudo das palavras dentro das frases e também das orações, e como essas palavras se relacionam entre si. Além disso, faz o estudo dessa oração dentro do período, permitindo que a frase tenha sentido e que as palavras estejam na ordem certa dentro da oração.

Essas definições são essenciais para que frases, orações e períodos façam sentido e sejam de fácil compreensão por parte do leitor. Na hora de compor uma ideia e transformá-la em um texto que seja coerente, conciso e escrito da forma correta, a sintaxe é essencial e precisa ser levada em consideração.

 

O que é frase, oração e período?


Para ter uma ideia clara da importância da sintaxe na língua portuguesa, é importante entender as diferenças entre três itens importantes, na hora de construir e transmitir uma ideia. O que é frase, oração e período? Quais são as principais diferenças entre eles e como identificá-los?

 

Entenda o que são e quais as diferenças entre esses elementos da sintaxe:

 

Frase: Qualquer enunciado que transmita uma ideia com sentido. A frase não conta com a presença de verbo.


Oração: Frase com sentido e que conta com a presença de verbo. É todo e qualquer enunciado que se organiza em torno de um verbo.

 

Período:


Período simples: Enunciado que pode ter apenas uma oração e é finalizado por um sinal de pontuação. Exemplos:
-João é um rapaz muito alegre.
-Maria gosta de ir ao parque.


Período composto: Enunciado que pode ter duas ou mais orações e é finalizado por um sinal de pontuação. Exemplos:
-João é um rapaz muito alegre e consegue fazer vários amigos.
-Maria gosta de brincar no parque e ama viajar.

 






 

[Ditongo]

 

Quando um conjunto de duas vogais é pronunciado numa mesma sílaba, o encontro vocálico é classificado como ditongo. Existem 4 subdivisões para esse grupo gramatical:

 

Ditongo oral: Quando a pronúncia ocorre com passagem de ar apenas pela boca. Ex.: Naipe, cuidado e flauta.


Ditongo nasal: Quando a pronúncia ocorre com passagem de ar pela boca e pelas fossas nasais. Ex.: Mão, pães, quantidade e sequência.

 

Ditongo crescente: Quando a semivogal aparece antes da vogal. Ex.: Início, promíscuo e supérfluo.

 

Ditongo decrescente: Quando a vogal aparece antes da semivogal. Ex: Saudade, pai e primeiro.

 

Atenção!

 

Há situações em que existem duas vogais na sílaba, porém não se trata de um ditongo, como nas palavras guerra e quilo, por exemplo. Nesse caso, as duas vogais representam um único fonema (o som da letra u não aparece), caracterizando outra classe gramatical: O dígrafo.

 






 

[Regras de Acentuação Gráfica]

 

Quem diz que a língua portuguesa tem muito acento está mal informado. Comece a reparar nos textos e você vai perceber que a maioria das palavras não recebe acento gráfico. As regras de acentuação foram elaboradas de maneira a evitarmos a acentuação das palavras mais comuns na língua.

Não confunda acentuação gráfica com acentuação tônica. Toda e qualquer palavra tem acento tônico, isto é, uma sílaba que é pronunciada com mais força do que as outras, mas não é em todas as palavras que tal sílaba recebe acento gráfico. Isso vai depender das regras. Então, vamos a elas.

Primeiramente, é preciso saber que as pa­lavras se classificam de acordo com a posição da sílaba tônica:

 

Oxítonas: São as palavras cuja sílaba tônica é a última.

Paroxítonas: São aquelas em que a sílaba tônica é a penúltima.

ProparoxítonasQuando a sílaba tô­nica é a antepenúltima.

 

Há, ainda, os monossílabos (palavras de apenas uma sílaba), que podem ser átonos ou tônicos. Compare as frases: a) Ele nos viu; b) Nós voltaremos. Na primeira, note que “nos” é pronunciado de maneira átona, por isso a tendência é que o “o” seja lido como um “u”; já na segunda frase, temos um monossílabo tônico “nós”.

 

[Regras Básicas]

 

Proparoxítonas: Como são as mais raras, todas levarão acento. É o caso de lâmpada, música, sábado, exército e gramática.

 

OxítonasSão acentuadas as que terminam em:

a(s): Sofá e marajás;
e(s): Você e jacarés;
o(s): Cipó e avôs;
em (ens): Também e parabéns.

 

Paroxítonas: São acentuadas todas as palavras que terminam em:

i, is, us: Táxi, lápis e bônus;
ã, ão, um: Órfã, sótão e álbum;
r, x, l, n, ps: Éter, tórax, fácil, pólen e bíceps;
ditongo: Colégio, água e série.

 

E quanto aos monossílabos tônicos, são acentuados os terminados em:

a(s): Lá e pás;
e(s): Fé e rés;
o(s): Dó e sós.