titio.info

Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
1






 

 

 

 *****

 SEMPRE

EM CONSTANTE

ATUALIZAÇÃO!

*****
(BRASIL)

(CAMPO GRANDE)

(MS)

*****
COPYRIGHT

BY

CLAUDIONOR

ARAÚJO

DA

SILVA

 

Poesias002

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MELHOR DESEMPENHO COM O

FIREFOX

 

 

01- VENTOS DO NORTE

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Ventos uivantes

Poeira de redemoinho

Folhas agitadas

Telhas que balançam

Portões que se abrem

Pássaros nas lagoas

Ninho de rouxinol

Borboletas nas flores

Alegria de girino

 

Fim de inverno!

 

 


 

02- AMORES IMORTAIS

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Noite de festa!

Ambientes requintados

Canções românticas

Vinhos e delícias

Ares de sedução

Flor das fadas

Olhos de mar

Pele de Maçã

Lábios de mel

Perfume de Jasmim

Doces palavras

Faces coladas

Almas gêmeas

ROMEU E JULIETA

Momentos marcantes!

 

 


 

03- DEFICIÊNCIA: ILUSÃO

 (Claudionor Araújo da Silva)

 (POESIA FEITA PARA A MONOGRAFIA DA DAIANE)

 

Águia de olhos feridos

Mas outros sentidos se aguçaram

Leopardo sem passos

Mas mãos desatadas

Leão sem rugido

Mas dedos indicam a direção

Cão surdo

Mas de faro apurado

Bate coração!

Mesmo onde a alma vegeta

Entre as flores:

Beija-flor que não se deve dar displicência

Vida que também necessita de poesia

Da mão que afaga

Do semblante amigo

De momentos alegres

Os sonhos nunca morrerão!

Não existem barreiras para o vencedor

Mesmo sobre rodas,

Gorjear como o sabiá

Braços estilhaçados,

Mas pés habilidosos

A inteligência brilhante

Nas vértebras destruídas

Daquele que não se deixa abater

A estrada da vida continua

A brisa ainda sopra fresca

As águas ainda energizam

Nas colinas ainda o sol se põe

A canção do vento diz:

NASCESTE PARA VIVER

SEM DORES

SEM LAMENTOS

SEM DESÂNIMOS

 

PARA SER GENTE IMPORTANTE!

 

 


 

04- ÉS PARA MIM

 (Claudionor Araújo da Silva)

 (Homenagem DA EDNA AO ESPOSO)

 

És para mim um raro tesouro

És a voz que acalenta

Necessito do teu carisma para viver

Nossas almas se amam

Tens no sorriso infinita sinceridade

Tens no olhar o brilho das rosas

És para mim

Amor sublime

 

 


 

05- VOCÊ: POR TODA A MINHA VIDA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Vieste com o brilho do girassol.

Nas palavras: Essência de violeta.

No ar: Perfume de margarida.

Nos gestos: Magia de dália rosada.

Belos poemas traduzem sua vida.

Soube me compreender.

Pôr do sol:

Perfume de jasmim;

Despedida;

Beijos enxugaram lágrimas.

Fomos capazes de transformar o dia.

Minha lembrança vai fazer você chorar.

Por toda a minha vida,

Jamais te esquecerei!

 

 


 

06- MINHA MÃE

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

Ontem:

Perfeição

Amor inigualável

 

Hoje:

Primavera

Pôr do sol

Canção triste

Brisa fresca das últimas chuvas

Campo repleto de flores

Sabor de lágrimas

 

Porque a sua missão foi cumprida!

 

Agora, és uma nova flor.

Regada por prantos

Inundada de sossego

 

Eu:

Sua visita mais importante.

 

Minha mãe:

 

Meu exemplo de vida!

 

 


 

07- JOGO DAS FRAGRÂNCIAS

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Perfume de rosas brancas

Inibe

O brilho das rosas amarelas

Magnólia

Finge

Ser margarida

Hortênsia soberana

Desfruta

Da sutileza de dália vermelha

Narciso

Sorri

Diante do charme da orquídea

Papoulas

Perdidas

Entre crisântemos amarelos

Azaleias brancas

Loucamente apaixonadas

Pelo brilho do girassol

Lírio

Espera aflito

O perfume do jasmim

Vencedores?

Só depois de muito tempo!

 

 


 

 

 

08- A VERDADEIRA ESTRELA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Age sempre ao natural

Jamais inveja

Se enraivece com o materialismo

Mente sempre liberta de todo mal

Pés incansáveis

Não reclama da fome, nem da sede

Possui os princípios da humildade

Ocupa-se com as responsabilidades

Se alegra com a bondade

Tem a fibra dos vencedores

Confia na ação do REI DOS REIS

Tem o verdadeiro espírito do NATAL

 

 


 

09- O CANTOR DO SOL

 (CLAUDIONOR ARAÚJO DA SILVA)

 

 

Amava as flores

Sempre à tardinha

Antes do pôr do sol

Na brisa fresca

Com o encanto das gaivotas

No mar da solidão

Na rocha das amarguras

Sua voz inimitável

Entoava uma canção

No refrão...

Sereias acompanhavam

Muitas vezes, sorria

Às vezes, se emocionava

Vida de rouxinol

E agora tudo é tão triste

Até as pedras choram

As tardes se modificaram

No seu palco:

O perfume dos jasmins;

As lágrimas das sereias

E o pouso das gaivotas

Missão cumprida!

 

 

 


 

10- TODAS AS LUAS

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

LUA de encanto

LUA das inspirações

LUA das emoções

BRILHO que apaixona

LUA NOVA:

Amor que renova!

LUA CHEIA:

Amor que incendeia!

LUA CRESCENTE:

O poder do amor!

LUA MINGUANTE:

Amor que enfeitiça!

 

 


 

11- FERNANDA

(Homenagem – Colega do Tênis Clube)

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Doçura de lírio

Graça de jasmim

Quando danças:

Canários festejam;

Borboletas bailam;

Rouxinóis se beijam.

No ritmo empolgante de uma canção,

Tens a ousadia de uma vencedora.

Seu nome é sinônimo de responsabilidade.

Seu semblante reluz serenidade.

Com toda franqueza:

Sua vida tem a essência das tulipas vermelhas.

 

 


 

12- PÁSCOA

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

É Páscoa!

Ressurreição!

É tempo de perdão!

A alegria está no ar

O dia tem um outro sentido

A brisa traz o AMOR

A natureza é pura magia

Nos bosques,

As flores exalam novas fragrâncias

No sorriso do amigo,

A vontade de abraçar a paz

Tantas delícias

Tantos sabores

Brindemos então

A união entre todos!

 

 


 

 

13- DOMINGO DE PÁSCOA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Vem o domingo

Que dia feliz!

Domingo de alegria

Domingo da paz

Domingo de Páscoa!

Assim que eu acordo

Abraço o papai!

Abraço a mamãe!

São tantos os beijos...

São muitos sorrisos!

 

Chocolate!

Bombons, ovos, pirulito...

Um brinde ao amor

Viver o perdão!

É ressurreição

O nosso melhor amigo

Sempre é JESUS!

 

 

 


 

 

14- POETIZAR...

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Emoção!

 

 

 

Pôr do sol

 

Arco-íris no horizonte

 

Cachoeira

 

 

 

Lago de água cristalina

 

Borboletas nas rosas

 

Matizes de peixes

 

 

 

Bosques aconchegantes

 

Campos verdejantes

 

Baile de beija-flor

 

 

 

No ar:

 

Canção suave 

 

De flauta doce

 

 

 

Nas árvores:

 

Gorjeio

 

De sabiá

 

 

 

No coração:

 

Sentimento

 

De albatroz

 

 

 

Poetizar...

 

 

 

 


 

 

 

 

 

15- TRANSFORMAR-SE NA PRAIA

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

Inverno

 

Brilho de fúcsia

 

Cordilheira

 

Crocitar de CONDOR

 

 

 

Campos verdes

 

Lago azul

 

Solitária cabana

 

Fumaça de chaminé

 

 

 

À sombra do IPÊ ROXO:

 

Camélias e azaleias

 

 

 

Entre as CEREJEIRAS:

 

Jasmins amarelos

 

 

 

Desejo de

 

TRANSFORMAR-SE NA PRAIA!

 

 


 

 

 

16- AGORA SIM

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Como antigamente,

Agora sim,

Mas só dentro de mim,

A brisa da manhã me trouxe felicidade!

Alvorecer sem sol

Neblina no horizonte

Como antigamente,

Agora sim,

Posso sentir sinceridade em tantos sorrisos...

 

Como antigamente,

Agora sim,

Mas só dentro de mim,

Reflito no que aconteceu

Dias inesquecíveis...

Situações, agora, tão presentes

Como antigamente,

Agora sim,

Um passo à liberdade!

 

Como antigamente,

Agora sim,

Mas só dentro de mim,

Talvez seja um anjo

Não, não quero acreditar numa ilusão...

 

Tarde de final de verão

Como antigamente,

Agora sim,

Desprezo toda maldade!

 

Como antigamente,

Agora sim,

Mas só dentro de mim,

Nas últimas pétalas de rosas

Que a chuva fez cair

Renasceu a esperança.

 

Mas só dentro de mim,

Desprezo todos os rancores!

 

 

 

 


 

 

 

17- A COLINA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Amanhece na colina!

 

Araras em revoada

Potros pelos campos

 

A fumaça da cabana se mistura com a neblina

O condor sobrevoa as palmeiras

A águia já retorna ao ninho

Represas repletas de peixes

 

Entre os jasmins,

Amores-perfeitos

 

Os cravos rosados

Parecem estar tristes

 

Perdigueiros correm em fúria

 

O vento levou pro mar

Pétalas de rosas brancas

 

Quando cai a tarde...

A colina é pura poesia!

 

A noite na colina,

É misteriosa e cheia de encantos

 

Outeiro do amor!

 

 


 

 

 

 

18- VOCÊ

(Claudionor Araújo da Silva)

 

  

Suave

Como a poesia!

 

Doçura

Que seduz e encanta!

 

Meiguice

Que apaixona!

 

Estar a seu lado,

É viver a eterna felicidade!

 

Você:

Sonho encantado!

 

És AMOR!

 

As flores insistem em querer te beijar.

 

Tens o brilho da pérola!

 

Vejo em seus olhos

A pureza do orvalho!

 

Você:

Perfeição de diamante!

 

Inspiração dos poetas!

 

 

 

 


 

 

 

 

19- UM DIA TRISTE

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Disse o dia: - Vem que eu sou poesia!

Mas a tristeza respondeu:

- Não. Lá fora existe a dor.

 

Disse o beija-flor: - Vem que eu sou amigo!

Mas a tristeza respondeu:

- Amigos não existem mais.

 

Disse o bem-te-vi: - Vem cantar comigo!

Mas a tristeza respondeu:

- Aqui não existe voz.

 

Disse a borboleta: - Vem dançar comigo!

Mas a tristeza respondeu:

- Esse corpo não sabe dançar.

 

Disse a libélula: - Vem andar sobre as águas!

Mas a tristeza respondeu:

- Essa alma não tem fé.

 

Disse o vento: - Vem, antes que tudo

se transforme em sofrimento!

Mas a tristeza respondeu:

- Aqui, já só existe o sofrimento, mesmo.

 

O dia partiu triste.

 

A noite, triste, chegou

E triste permaneceu.

Não disse nada.

 

Deixou tudo a cargo das reflexões.

 

Quem sabe amanhã...

 

 


 

 

 

20- PRISCILA

 

“HOMENAGEM – CRAS POPULAR (OFICINA DE DANÇA)”

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

 

 

No horizonte,

 

O seu nome está escrito!

 

 

 

Momentos ao seu lado,

 

Transformam-se em lindos versos!

 

 

 

Nas Manhãs de primavera,

 

Curvam-se aos seus pés,

 

Cravos vermelhos!

 

 

 

Nas tardes de outono,

 

Se você chora,

 

Os jasmins se entristecem!

 

 

 

Nas noites de verão,

 

A estrela do AMOR,

 

Vem beijar a sua face!

 

 

 

Se você sorrir,

 

Sei que as rosas vermelhas,

 

Vão se alegrar!

 

 

 

Se um beija-flor procurar por você

 

E não te encontrar,

 

 

 

Irá morrer,

 

 

 

Pois não sentiu a ternura da tua presença!

 

 

 

Estar ao seu lado,

 

É ter mais vontade de

 

VIVER! 

 

 

 


 

 

 

21- Homenagem CRAS POPULAR

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

CRISTINA:

 

 

Quando nasceste,

O brilho do teu olhar mostrou,

 

Toda a beleza das dádivas divinas!

 

A sua magia!

 

 

 

 

Então,

 

Repentinamente,

As flores exalaram outros perfumes!

 

Tens o valor

Da mais preciosa joia!

 

Certamente,

 

Quem desfruta do seu sorriso,

É premiado com a sorte dos deuses!

 

Sei que tens o dom de modificar as pessoas.

 

Tudo em ti é perfeito!

 

Tens a essência dos

Crisântemos brancos!

 

No UNIVERSO,

És coroada

Como RAINHA DAS FADAS!

 

Até no mundo dos sonhos,

 

Você é

 

Uma GRANDE MULHER!

 

 


 

 

 

22- A FLOR DO DIA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Já é SEGUNDA,

Depois de tantas tempestades;

 

Sorrisos de crisântemos brancos.

 

Na TERÇA,

Morre o último jasmim,

Depois de tantos dissabores.

 

Na QUARTA,

Azaleias brancas dizem SIM,

Na tarde de verão.

 

Já é QUINTA,

Sinto a força das dálias amarelas,

No leve toque da brisa.

 

Chega a SEXTA,

Me agarro às hortênsias,

Depois de quase chorar.

 

Vem o SÁBADO,

Compreendi

Que me esqueci de viver

E me pus a pensar nas rosas brancas.

 

Agora é DOMINGO,

Morrem as papoulas.

 

Sofre CORAÇÃO!

 

 

 


 

 

 

23- TE ESPERO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

Te espero!

 

Num amanhecer encantado;

Nas águas de um lago mágico;

Em todo pôr do sol;

A cada arco-íris que surge.

 

Te espero!

 

Quando a brisa das noites de verão,

Murmura o seu nome;

Quando as estrelas desenham a sua face

E a areia da praia escreve: AMOR!

 

Te espero!

 

Nas chuvas de dezembro;

Nas tardes perfumadas pelos jasmins;

Em toda primavera;

Em todo fim de tarde.

 

Te espero!

 

À sombra dos laranjais;

No voo do albatroz;

Nas noites enluaradas;

 

Por toda a minha vida.

 

 

 


 

 

 

 

 

24- PARAÍSO TROPICAL

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Sol de final de verão

Praia dos prazeres

 

Quando cai a tarde,

 

Ao longe:

Um canto triste de gaivota

A beleza do alcatraz

 

Ondas mágicas

Profundezas misteriosas

 

Nas manhãs ensolaradas:

Rastros na areia.

Amor de fragata.

 

Mar:

Perfume que seduz

Poder que acalma

 

Lua de outono:

Brilho que irradia paz.

 

Praia da inspiração

Lugar de encanto

 

Paraíso tropical!

 

 


 

 

25- VANESSA

(Homenagem CRAS POPULAR)

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Assim,

Tão repentino,

 

Surgiste

Como uma linda borboleta!

 

Com a sua presença:

Os lírios ficam mais brilhantes!

 

Sem você:

Os canários se entristecem!

 

Nos bosques onde é cultivada a flor do carisma,

Foste tu, a premiada!

 

Na ilha onde se encontra a mais rara flor,

Foste tu, a escolhida!

 

Então,

Um mundo de encanto e magia,

Formou-se diante dos que estão

Junto a ti!

 

Enfim,

 

Sei que agora,

 

Lá nos campos,

 

Quando você passa,

 

Os crisântemos vermelhos

Dizem:

 

AMOR!

 

 


 

 

 

26- PRISCILLA

(Cras Popular)

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

És como um tesouro

De valor incalculável!

 

Seu sorriso

Acalma os mares!

 

Seu semblante

Reanima as flores!

 

As colinas

Cultivam rosas

Para te ofertar!

 

Nos campos,

Os jasmins não se cansam

De sorrir com a sua presença!

 

Nas noites enluaradas,

Os oceanos procuram

Pelo seu brilho!

 

Os pintores

Mesclam as cores,

Em busca do tom

Que representa a sua beleza!

 

Lá nos bosques,

Os canários só vão cantar,

Se ouvirem a sua voz.

 


 

 

 

27- CELITA

(Homenagem – CRAS POPULAR)

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

Inocência de margarida

Amor de jasmim

Alegria de primavera

 

Se você se entristecer,

As tardes vão chorar.

 

As chuvas de verão

Trazem a essência

Do seu carisma!

 

Nas manhãs frias,

O seu amor

É chama viva que incendeia!

 

Nos campos,

Ventos murmuram

Lindas canções,

Diante do seu semblante!

 

Ao toque de suas mãos,

A fera mais feroz,

Se acalma!

 

Estar ao seu lado,

É ser iluminado

Com o brilho

 

De uma ESTRELA!

 

 


 

 

 

28- SANDRO

(CRAS POPULAR)

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

A história do seu caminhar,

É uma linda poesia!

 

Sei que a sua serenidade,

Faz a vida ter mais

VIDA!

 

Estar diante da LUZ

Que você transmite,

É viver momentos agradáveis!

 

Quando nasceste,

Foste coroado pelo ANJO

Da PROSPERIDADE

E os magos declamaram

O poema da SABEDORIA!

 

Agora,

O universo se rende

Ao seu TALENTO!

 

E as flores esperam aflitas

Pela sua PRESENÇA!

 


 

 

 

29- LÍDIA

(CRAS POPULAR)

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

Um dia desses,

 

Ao cair da tarde,

 

No jardim dos amores-perfeitos,

 

Um canto de rouxinol

Lembrou a essência da sua delicadeza!

 

Noutras tardes,

 

Gotas de chuva,

Ao caírem das pétalas de uma rosa,

Escreveram o seu nome,

No encanto de um lago azul!

 

Noutros verões,

Nuvens passageiras,

Desenharam o seu semblante!

 

Nas manhãs geladas,

As flores das paineiras

Se entristecem,

Se não sentem a sua carícia!

 

Nas noites estreladas,

O brilho dos seus olhos,

Se confunde com o brilho da lua!

 

Viver no seu mundo,

É estar diante

Da essência dos lírios.

 


 

 

30- MÃE (SINÔNIMO DE AMOR)

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Mãe:

 

Brilho

Que irradia afeto!

 

Delicadeza

Que acalenta!

 

Flor

De incalculável valor!

 

Tens

  A essência

Da fórmula do AMOR!

 

A você:

 

São dedicadas lindas canções;

São feitos belos poemas;

São oferecidos lindos presentes.

 

No universo,

 

És tu,

 

SINÔNIMO DE AMOR!

 


 

31- PRISCILA

(homenagem do GRUPO DE IDOSOS)

Autor: Claudionor Araújo da Silva

 

 

PRISCILA:

 

 

Nas manhãs ensolaradas,

O brilho da sua ternura,

Acalentou os nossos corações!

 

Com a sua presença,

Brindamos

O amor e a vida!

 

Guiados pela sua energia,

Nos sentimos como mariposas,

Livres no ar!

 

Dançar,

É rejuvenescer a alma;

É cortejar a harmonia!

 

Mas agora,

As ribaltas de outros palcos,

Esperam aflitas,

A sua presença.

 

Outros bosques,

Já cultivam novas flores,

Que exaltarão a sua magia!

 

Em clima de festa,

Nos despedimos,

Mas nas canções,

Estaremos sempre juntos!

 

FELICIDADES!

 


 

 

 

32- MÃE: VERDADEIRO AMOR!

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Amor Incomensurável!

Perfume de valor incalculável.

 

És doce como o toque da flauta.

 

És como um valioso tesouro,

Que só é encontrado,

Nos mares onde reina a felicidade!

 

Uma estrela,

De uma galáxia distante,

Mantém acesa a chama

Do seu amor!

 

Nos poemas escritos pelos magos,

Sua imagem é enaltecida,

Em traços dourados!

 

Sua história de vida se resume,

Numa linda canção,

Ecoada pelos ANJOS!

 


 

 

 

33- MEU PAI: MEU MUNDO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Na imensidão,

Harpas ecoam belos cânticos,

Parabenizando o seu dia!

 

Na paz do seu sorriso:

Sentimentos à flor da pele!

 

Ventos trazem a fragrância,

Que simboliza a sua força!

 

Difícil de entender,

O mundo sem você!

 

Agora e por toda a eternidade,

Acredito que sua fibra,

Conjectura GRANDES HOMENS!

  

Carrego comigo toda a sua essência!

 

É indiscutível,

Que em todo o planeta,

Somente a sua destreza,

 

Leva

À GRANDES VITÓRIAS!

 

 


 

 

34- ELAINE

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Primavera;

Brilho de jasmim;

Estrela que irradia AMOR.

 

Sua presença,

Enaltece o UNIVERSO.

 

Inspirados no seu nome,

Poetas escondem,

Entre rosas vermelhas,

Lindos versos.

 

Num país longínquo,

A essência da sua delicadeza,

Ilumina os bosques.

 

Por alguns momentos,

Desfrutamos do seu CARISMA,

 

Mas a brisa que traz o seu perfume,

Já te anuncia noutras colinas.

 

Agora sabemos,

Que com VOCÊ,

A vida tem um outro sentido.

 

Com beijos e abraços,

Nos despedimos,

Desejando-lhe, por toda a ETERNIDADE:

 

PAZ e PROSPERIDADE!

 


 

35- PROCURA-SE...

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Janeiro,

Jasmins dos Alpes italianos,

Renderam-se ao seu encanto

 

Fevereiro,

Na passarela,

O brilho da lua,

Era só seu

 

Março,

Todo fim de tarde,

Um arco-íris foi te visitar

 

Abril,

Dos densos arbustos,

Rouxinóis pareciam

Chamar o seu nome

 

Maio,

Foste a inspiração

De um poeta

 

Junho,

Nas Ilhas Canárias,

Rosas vermelhas

Queriam te beijar

 

Julho,

Foste a paixão

De um francês

 

Agosto,

Em Frankfurt,

Aplausos te saudaram

 

Setembro,

Viram-te num campo de girassóis,

Entre borboletas

 

Outubro,

Uma fera africana,

Amansou-se,

Diante do seu semblante

 

Novembro,

Um evento mexicano,

Foi iluminado pelo o seu sorriso

 

Dezembro,

Encontrou o seu verdadeiro amor

E agora, todos os dias,

Muitos querem te presentear!

 

 

 


 

 

 

36- HOMENAGEM DO

GRUPO DE IDOSOS

 

DO

 

CRAS VALÉRIA LOPES DA SILVA

 

À

 

***SIRLEY e VÂNIA***

 

 

 

Autor:

 Claudionor Araújo da Silva

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No ritmo da canção,

 

Exercitamos o amor;

 

Manifestamos sorrisos.

 

 

 

Bosques ensolarados,

 

Guardam a essência,

 

Desse aprendizado.

 

 

 

Viver com saúde,

 

É todos os dias,

 

Se sentir bem!

 

 

 

A juventude jamais morre,

 

Na mente que promove a paz;

 

Que cultiva a sabedoria.

 

 

 

Parabéns pelo CARISMA!

 

A nossa AMIZADE, será  eterna.

 

 

 

Entre nós:

 

CALOROSOS ABRAÇOS!

 

DOCES PALAVRAS!

 

MOMENTOS INESQUECÍVEIS!

 

 

 

UMA HISTÓRIA FELIZ!

 

 

 

 


 

 

 

 

37- MYLENA MORAES

 (Claudionor Araújo da Silva)

 *****H*O*M*E*N*A*G*E*M*****

 

 

 

 

Trazes em seu caminhar,

 

Todo o romantismo

 

Das tardes de céu lilás,

 

Dos bosques de carvalhos-dourados,

 

De uma doce canção.

 

 

 

Todas as manhãs,

 

Sei que uma suave brisa,

 

Vem beijar a sua face.

 

 

 

No outono

 

De uma longínqua floresta,

 

As fadas escreveram o seu nome,

 

Nas pétalas dos jasmins.

 

 

 

Nas primaveras de um paraíso,

 

O seu semblante é iluminado,

 

Por uma luz mágica.

 

 

 

O seu sorriso ilumina as noites.

 

 

 

A sua presença

 

Tem toda a essência,

 

De uma linda POESIA.  

 

 

 


 

 

 

 

38- PAI: UMA MISSÃO IMPORTANTE

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Das garras da águia,

Colheste um fruto precioso!

 

Deixaste ser tocado,

Pela lágrima do gato!

 

Tens a essência do condor

E do albatroz!

 

Por excelência,

És como o leão!

 

Somente os lagos secretos,

Das longínquas cordilheiras,

Sabem do seu SEGREDO!

 

Existe em seus olhos,

A luz do UNIVERSO!

 

 


 

 

 

 

39- CRAVO NEGRO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Já é tarde!

 

A última canção romântica,

Deixou muitas marcas.

 

Não!

 

Outra vez um ELO.

 

Por que nos jardins,

Os jasmins insistem em ter PRESENÇA?

 

Por que o artista insiste,

Em protagonizar cenas,

Que não EXISTEM MAIS?

 

Por quê?

Por quê?

Por quê?

 

Essência de GARDÊNIA?

Um segredo só meu.

 

Entre poucos CRAVOS BRANCOS,

Um CRAVO NEGRO baila,

Entre risos e abraços!

 

 

 


 

 

 

 

40- AROMA DE CAFÉ

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

Madrugada fria!

 

 

 

Assobio de Ventania!

 

Melodia de folhas secas!

 

 

 

Portas, portões, porteiras e

 

Janelas escancaradas!

 

 

 

Flores despedaçadas!

 

Telhas que balançam!

 

 

 

Neblina!

 

 

 

Dorme o curiango.

 

Sofre o bem-te-vi.

 

Canta a cotovia.

 

 

 

Chuva!

 

 

 

Corujas à espreita.

 

Rosas que choram.

 

 

 

Céu nublado.

 

Gelo na lagoa!

 

 

 

Mas na cabana,

 

Tem a experiência do matuto.

 

Tem AROMA DE CAFÉ!

 

 

 


 

 

 

 

41- TU

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Sei quem és tu...

 

 

 

Basta só um caminhar!

 

Basta só um falar!

 

Basta só um agir!

 

 

 

Sei quem és tu...

 

 

 

Nos seus desesperos!

 

Nas suas loucuras!

 

Na sua raiva!

 

 

 

Sei quem és tu...

 

 

 

Quando choras!

 

Quando amas!

 

Quando teimas!

 

 

 

Sei quem és tu...

 

 

 

Se te chamarem a atenção!

 

Se te desprezarem!

 

Se te magoarem!

 

 

 

Sei quem és tu...

 

 

 

Dizes: NÃO AGUENTO MAIS!

 

 

 

Porque precisas se satisfazer!

 

Porque necessitas de PAZ!

 

 

 

FINGES UMA PAIXÃO!

 

PROVOCAS ALVOROÇOS!

 

 

 

ADOECER POR AMOR?

 

SÓ PARA UM TOLO!

 

 

 

 


 

 

 

 

42- COMPLETAMENTE APAIXONADO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

Então eu choro,

Porque te amo!

 

Te recordo...

 

Quando cai a lágrima do jasmim!

No sorriso da camélia vermelha!

Quando os cravos brancos se apaixonam!

 

Então eu choro,

Porque te amo!

 

Te recordo...

 

Nas manhãs de primavera!

No orvalho do outono!

Nas tardes de neblina!

 

Então eu choro,

Porque te amo!

 

Te sinto...

 

No canto do rouxinol!

Na chuva repentina!

No grito da gaivota!

 

Então eu choro,

Porque te amo!

 

Te sinto...

 

Na flor da laranjeira!

Na beleza do arco-íris!

Na solidão da noite!

 

Então eu choro,

Porque te amo!

 

Te recordo!

Te sinto!

 

Nunca te esqueço!

 

 


 

 

 

43- UM DIA FELIZ

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

 

 

Pipas;

 

Balões;

 

Arco-íris.

 

 

 

Folhas ao vento;

 

Rosas vermelhas;

 

Suaves canções.

 

 

 

Vem um sorriso...

 

Vai outro aceno...

 

Tudo é alegria!

 

Tudo é festa!

 

Tudo é poesia!

 

 

 

Como vai você?

 

Por onde tem andado?

 

 

 

Brindemos ao AMOR!

 

Glória à VIDA!

 

 

 

Quantas danças!

 

Tantos violões!

 

Muitos beijos!

 

Outros abraços!

 

Vários olhares!

 

 

 

Quando vamos voltar?

 

Estaremos juntos?

 

 

 

Corações tão alegres!

 

Leveza da alma!

 

 

 

Uma despedida!

 

Doces palavras!

 

Muitas lembranças!

 

 

 

UM DIA FELIZ!

 

 


 

 

 

 

 

*****44- FADA DAS CORES*****

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

Passou...

 

 

 

Azul?

 

Desavença!

 

 

 

Vermelho?

 

Tristeza!

 

 

 

Amarelo?

 

Ódio!

 

 

 

Verde?

 

Desconfiança!

 

 

 

Roxo?

 

Serenidade!

 

 

 

Preto?

 

Batalha vencida!

 

 

 

Cinza?

 

Ajuda!

 

 

Branco?

 

 Fingimento!

 

 

 

 

Volta...

 

 

 

Num céu nublado!

 

Ao garoar!

 

 

 

Sábia!

 

Infalível!

 

Imortal!

 

Magnífica!

 

 

 

Fada das cores!

 

Mundo desconhecido.

 

 


 

 

 

45- SETE LÁGRIMAS

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Na primeira lágrima:

 

Seu perfume;

Sua voz;

Seu toque!

 

Na segunda lágrima:

 

Aquele beijo;

Aquele abraço;

Aquela poesia!

 

Na terceira lágrima:

 

Aquele domingo;

Aquela festa;

Aquele instante!

 

Na quarta lágrima:

 

Aquela canção;

Aquela primavera;

Aquela rosa!

 

Na quinta lágrima:

 

Aquela tarde;

Aquele pôr do sol;

Aquela praia!

 

Na sexta lágrima:

 

Aquela dança;

Aquele jardim;

Aquele sorriso!

 

Na sétima lágrima:

 

O adeus;

A dor;

As lembranças;

 

SEU NOME!

 

 


 

 

 

46- A VEIA DO AMOR

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Vivo!

Dos instantes em que o vento assanha os seus cabelos!

 

Vivo!

Do toque suave das suas mãos!

 

Vivo!

Do desenhar do seu caminhar!

 

Vivo!

Da doçura das suas palavras!

 

Vivo!

Do brilho dos seus olhos!

 

Vivo!

Da meiguice do seu sorriso!

 

Adormeço!

Sentindo a sua respiração!

 

Enlouqueço!

Se não te vejo!

 

Seu rosto

Silencia e faz parar!

 

Amo!

Ter você do meu lado!

 

Acredito:

És tu, o AMOR SUBLIME!

 

TE AMO!

 

 

 


 

 

 

47- Você: Minha Inspiração!

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

Te vejo...

 

Numa TARDE de PRIMAVERA,

Bailar entre BORBOLETAS!

 

 

Num DOMINGO de ABRIL,

Ser beijada por um colibri!

 

 

Numa CHUVA de VERÃO,

Adormecer na relva!

 

 

Quero Sentir...

 

Numa MANHÃ de INVERNO,

Seu perfume sedutor!

 

 

Numa NOITE de OUTONO,

Suas mãos a me acariciar!

 

 

Sofro...

 

 

Se não vejo o seu SORRISO!

Se não escuto a sua VOZ!

 

 

Choro!

 

 

Por sentir a sua FALTA!

Por não ter o seu AMOR!

 

 

TE AMO!

 

 


 

 

 

 

 

48- FLORES DE PLÁSTICO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Triste!

 

Porque procurou por um tesouro que não existe!

 

Porque encontrou um deserto

Agarrado à crueldade!

Regado pela displicência!

Carregado de impurezas!

 

Sol que não brilha!

Terra infértil!

Bijuteria!

Sonho que não vale a pena!

 

Dissabores...

 

A arrogância dos tolos,

É o troféu!

 

SEMPRE:

 

FLORES DE PLÁSTICO!

 

 

 


 

 

 

49- VELHA TAPERA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Da ponte da estrada boiadeira,

No sentido de quem vem do interior,

Basta olhar para a esquerda!

 

Escondida no matagal,

Iluminada pelo luar,

A velha tapera já foi

Recanto da felicidade!

 

Fartas colheitas,

Rendiam Natais festivos!

 

Matuto se gabava

Daquele abençoado paraíso!

 

Nas manhãs de primavera,

Vinham os rouxinóis,

Anunciar o alvorecer!

 

À tardinha, tinha pescaria,

No rio das águas cristalinas!

 

Violadas e comidas típicas,

Regavam as noites de inverno!

 

Mas veio o progresso,

Que levou o matuto embora,

Trazendo a tristeza e o abandono!

 

Ainda hoje,

Embaixo da antiga figueira,

Se vê o carro de boi,

Lembrança de um tempo bom,

Que se foi

E não volta mais!

 

 


 

 

50- EU e VOCÊ

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Vem!

Eu preciso de você...

O brilho dos seus olhos me faz viver!

O seu sorriso me enlouquece!

A sua voz me acalma!

 

 

Vem!

Você é a alegria!

Sem você, as rosas choram!

Você é tudo de bom!

Você é especial!

 

 

Num instante,

Somos almas gêmeas,

Frente a frente!

Corações colados,

Sintonizados numa mesma emoção!

 

 

EU e VOCÊ!

 

 


 

 

51- PARABÉNS AO AMOR!

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Assim...

Tão pertos!

 

 

Caminhando num arco-íris!

Voando com os colibris!

Cantando com os rouxinóis!

Beijando as flores!

 

 

Assim...

Felizes!

 

 

Um beijo na lua!

Um abraço no sol!

Um encontro no paraíso!

Um poema numa estrela!

 

Bom dia, céu!

Boa tarde, chuva!

Boa noite, vento!

 

 

PARABÉNS A VIDA!

 

 

A VOCÊ!

A NÓS!

 

 

PARABÉNS AO AMOR!

 

 


 

 

 

52- SONHO DOS INSENSATOS

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Essência assassina!

Metal sem valor!

Vive na arena dos imprudentes!

 

Zomba, por profissão!

Às vezes, se recua, aos risos!

Outras vezes, ameniza as dores!

 

Fere!

Pelo prazer de se ridicularizar!

 

Timidez, não!

Exageros de escândalos, sim!

 

Erva que maltrata a lavoura!

 

SONHO DOS INSENSATOS!

 

 

 


 

 

 

 

53- INSPIRAÇÃO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Sou...

 

 

 

Ventania!

 

Poesia,

 

Arrancada de caderno!

 

 

 

Cor de primavera!

 

Energia de lua!

 

 

 

Tarde de céu nublado!

 

Domingo de inverno!

 

 

 

Madrugada de chuva!

 

Sorriso de jasmim!

 

 

 

Grito de andorinha ferida!

 

Voo de albatroz!

 

 

 

Solidão de fim de dia!

 

Barco sem destino!

 

 

 

Orvalho de relva!

 

Noite estrelada!

 

 

 

Manhã de calor!

 

Planeta desconhecido!

 

 

INSPIRAÇÃO!

 

 

 


 

 

 

 

54- IMORTAL!

 (Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

Seu Nome...

 

 

 

Eco das colinas!

 

Murmúrio do vento!

 

Pergaminho das rosas!

 

 

 

Brilho da lua!

 

Tesouro do mar!

 

Estrela do amor!

 

 

 

Conto de fada!

 

Emoção!

 

Ternura!

 

 

 

Sonho de verão!

 

Inspiração dos poetas!

 

 

 

LENDA IMORTAL!

 

 


 

 

 

55- A FESTA DO ABUTRE

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Faltam as Joias?

Ah!

Muito prazer!

Abutre, ao seu dispor...

 

Brilham os olhos!

Dá leveza!

Faz sorrir!

Traz serenidade!

 

E a falha?

É minha!

É sua!

PONTO DO ABUTRE!

 

Escravo da inveja!

Domínio da avareza!

Deus da luxúria!

Herói do orgulho!

 

Sonha em ser falcão...

Mas não é dono do destino!

 

Agora, ferido!

Aprendeu a lição?

Só o tempo vai dizer!

 

Afinal de contas,

Depois de curado,

É só bater as asas!

 

PRESENTE DA VIDA!

 

 


 

 

56- O CANTO DA SEREIA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Moderno e sofisticado!

Alegre e descontraído!

Financia o futuro!

 

 

Emocionante e ganancioso!

BEM é EGOÍSMO!

 

MAL é o POBRE!

 

Eu quero!

Eu posso!

Eu faço!

 

Sigo uma paixão!

 

 


 

 

 

57- INSTINTO SELVAGEM

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Mas...

E depois?

 

Cristal quebrado!

Porta arrombada!

Casa sem telhado!

Laço rompido!

 

Então...

 

Realidade à tona!

Passarão as dores?

 

Agora!

 

Máscara no chão?

Canção sem tom?

PRIMAVERA colorida?

 

ERRAMOS?

ACERTAMOS?

 

CHORA a ABELHA!

 

Cena que se repete!

INSTINTO SELVAGEM! 

 

 

 


 

 

 

 

58- PAI: CORAÇÕES A CALEJAR

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

Pai:

 

 

 

Em tua honra:

 

Balões ao vento!

 

 

 

Por sua glória:

 

Foco no palco!

 

 

 

Pelo amor incondicional:

 

Tapete vermelho!

 

 

 

É teu

 

O estandarte da criação!

 

 

 

Sorrindo, me estendeu a mão

 

E ao me beijar,

 

Me acolheu num abraço!

 

 

 

Quebrou barreiras!

 

Venceu desafios!

 

 

 

As rugas são os caminhos,

 

Por onde a experiência que chega,

 

Encontra as ilusões que se vão.

 

 

 

Está escrito nas estrelas,

 

Que a sua história de vida,

 

Caleja muitos corações!

 

 

 

PARABÉNS!

 

 

 


 

 

 

59- DOMINGO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

À sombra da laranjeira...

Aquele sorriso ao vento!

Uma canção de rock!

Outro beijo a estalar!

 

Vem chuva de verão!

Vai bola no pé!

Vem mais correria!

Vai outra cerveja!

 

Chega um coquetel!

Vem outro churrasco!

Vai o refrigerante!

Mais sorvete na bandeja!

 

Pula-Pula!

Patinada!

Biribol!

Raquetada!

 

Tobogã!

Trem da amizade!

Piscina!

Namoro quente!

 

No ar...

No som...

Na voz!

 

É festa!

É folia!

É alegria!

 

É DOMINGO!

 

 


 

 

60- VIDA DE ABELHA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Rainhas assanhadas!

Zangões desesperados!

Quanto mel!

 

Essência do amor!

Tantas colmeias!

Quanta necessidade!

 

Prazer!

 

Muitas vezes,

Ouro de tolo!

Tantas vezes,

Tolice de rainha!

 

Tão lindo para muitos!

Horrível para poucos!

 

ABELHA PURA?

VALORES INVERSOS!

 

 


 

61- MEU PAI: UM GRANDE AMIGO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Pai:

 

Imagem e Semelhança

Do Criador!

 

No seu dia:

 

Rosas descem do horizonte!

Anjos cantam no arco-íris!

Estrelas se apaixonam!

A lua beija o sol!

 

De tanto amor,

Choram os jasmins!

Borboletas dançam!

Bosques se alegram!

 

Nas covas de leões,

Muitas vezes: VENCEDOR!

 

Nos desafios da vida:

Tantas vezes: SOBERANO!

 

Essencialmente és:

Disciplina e compromisso!

Força e perseverança!

 

TE AMO!

 

 


 

 

 

62- A VISITA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

A estrada que dá acesso a casa,

É arenosa e rodeada de rosas!

De vez em quando,

Vinham ao nosso encontro,

Pétalas vermelhas e alguns colibris!

 

Na mata, canarinhos faziam a festa!

De repente, a família de cotias

Atravessa na nossa frente

E às pressas, vai desaparecendo,

Entre os coloniões!

 

Na chegada:

Sorriso de caipira!

Boa tarde de perdigueiros!

 

Construção antiga!

Quintal cercado com balaústres!

Muito sombreado

E chão forrado de folhas!

 

Na varanda:

Rede estendida;

Bancos rústicos;

Uma mesa de cerejeira

E a gaiola do curió!

 

A velha carroça,

Descansa em paz,

Embaixo da grande mangueira!

 

Na capelinha:

A imagem de Nossa Senhora!

 

Do riacho,

Vem a água do monjolo!

No galinheiro:

Polacas e índias dividiam o milho!

No celeiro: Pangaré a relinchar!

 

Do fogão à lenha,

Veio o nosso lanche:

Cafezinho quente;

Bolo de fubá;

Queijo e doce de leite!

 

Entre uma conversa e outra,

Tinha a moda de viola,

Do sertanejo de mãos calejadas

E voz, um pouco, rouca!

 

À tardinha:

Despedida!

A promessa,

De em breve,

Voltar!

A lembrança de uma

 

VISITA!

 

 

 


 

 

 

63- TENTATIVAS

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

Tentei te esquecer...

E não dominei as lágrimas!

 

 

 

Tentei te esquecer... 

Mas lembrei da nossa canção!

 

 

 

Tentei te esquecer...

Mas a areia escreveu o seu nome!

 

 

 

Tentei te esquecer...

Mas senti o sabor dos seus lábios!

 

 

 

Tentei te esquecer...

Mas, numa nuvem, vi a sua IMAGEM!

 

 

 

Tentei te esquecer...

Mas a tarde trouxe o seu perfume!

 

 

 

Tentei te esquecer...

Mas num poema, te encontrei!

 

 

 

Tentei te esquecer...

Mas você apareceu nos meus sonhos!

 

 

 

 

 

Tento te esquecer...

Mas alguém me lembra você!

 

 

 

Tento te esquecer... 

Mas à noite, sinto a sua falta!

 

 

 

Tento te esquecer...

Mas vejo VOCÊ em TUDO!

 

 

 

VOCÊ É AMOR!

 

 

 


 

 

 

 

64- EU TE RECORDO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

Então recordo...

 

 

 

Seu sorriso, 

Naquela manhã de neblina!

 

 

 

Então recordo...

 

 

 

Sua poesia,

Naquela noite fria!

 

 

 

Então recordo...

 

 

 

Sua canção...

Naquela tarde chuvosa!

 

 

 

Então recordo...

 

 

 

Seu caminhar,

Naquele sol de outono!

 

 

 

Então recordo...

 

 

 

Seus cabelos,

Naquele inverno gelado!

 

 

 

Pássaro ferido!

Leão sem rugido!

Cão sem dono!

 

 

 

As lágrimas de um coração que sangra,

Regam as flores, do triste jardim

Da minha alma!

 

 

 

Como a águia que vê, o filhote morrer,

No primeiro voo,

 

 

 

Embrenhado nas raízes da tristeza,

Me alimento de recordações!

 

 

 


 

 

 

 

65- O LOBO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Infame!

Dissimulado!

Sempre à espreita!

 

Sabor de sangue!

Aroma de fel!

Sentimento de traição!

 

Algumas vezes, junto!

Outras vezes, disperso!

 

Engenhoso!

Vingativo!

 

Na insolente perseguição,

Descobre

Um leão,

Na pele de cordeiro!

 

LOBO DE DUAS PATAS!

COISAS DA VIDA!

 

 


 

 

 

 

66- A INCONDICIONAL

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

Sempre em busca do predador!

Sempre voraz!

A doença não sara!

Outra vez: VACINA!

 

Não mede esforços!

Não impõe regras!

Pode ser bem cedo,

Ou muito tarde!

 

Tem o caminho livre!

 

Quando o suor aumenta,

A sarna é incontrolável!

 

Ela vai chegar...

 

Mais uma vez, ouve:

ENTRA AÍ!

 

 


 

 

 

67- A AVE DO AMOR

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

 

 

Com as asas abertas,

 

Espera, sem pressa!

 

Com qualquer aparência,

 

Se satisfaz!

 

De onde vem o amor?

 

Não importa!

 

Tudo é felicidade!

 

Em sua gaiola,

 

As últimas fronteiras,

 

São lençóis!

 

Às vezes,

 

Chega amor demais!

 

Amor faltar?

 

Difícil!

 

O lema da AVE DO AMOR é

 

SEMPRE AMAR!

 

AMAR, CADA VEZ, MAIS!

 

 

 

E se depois,

 

As amadas sofrerem?

 

O que importa?

 

Se a amada amante,

 

Tão espontaneamente,

 

Quis respirar o ar de outra gaiola...

 

 

 


 

 

68- NÃO É JUSTO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

Não!

Adeus,

Tão repentinamente?

Não é justo!

 

Se...

O lago azul

Ainda não secou!

 

Se...

No riacho,

Ainda vivem as samambaias!

 

Termina assim:

Ventos do norte não movem moinhos?

 

Não é justo!

 

Se...

Nas cordilheiras,

Ainda voa o condor!

 

Se...

Nos quintais,

Ainda se fala de amor!

 

Não!

Assim, não!

 

NÃO É JUSTO!

 

 


 

 

69- DIA-A-DIA

(Claudionor Araújo da Silva)

 

 

 

Lava.

Pega outro balde.

Puxa a mangueira.

E o rodo?

Que vassoura boa!

 

Está quase cosido!

Mais tempero.

Mais uma panela no fogão.

E nas verduras? Azeite?

 

Passa.

Nossa!

O ferro? Já desligou?

Amarrotado?

Melhorado.

 

E a lixeira?

E a coleta?

 

Outro banho.

Mais bucha.

Mais espuma.

Entre os dedos, tem sujeira.

Enxágua bem.

Se seca mais.

 

Perfumei.

E os dentes?

Meu creme.

Quanto cotonete!

Seus pés.

Minhas mãos.

 

UFA!

 

 


 

 

 

70- AMOR ETERNO

(Claudionor Araújo da Silva)

 

As tardes sabem...

Dos muitos beijos,

Nos últimos raios de sol.

 

Os ventos sabem...

De todas as fragrâncias,

Das muitas flores ofertadas.

 

A chuva sabe...

Dos muitos abraços,

Num céu de verão.

 

Os bosques sabem...

Das bocas ofegantes,

Na relva molhada.

 

A lua sabe...

Dos muitos poemas,

Nos mares de amor.

 

As colinas sabem...

Existe um só eco:

O SEU NOME E O MEU.

 

E agora, sabemos...

O nosso AMOR

Será ETERNO!

 

 


 

FIM!